Ator da franquia 'Os Vingadores' disse que presidente faz ativistas ambientais de 'bode expiatório'.

Bolsonaro afirmou que DiCaprio e a organização WWF financiam queimadas criminosas na Amazônia.

Mark Ruffalo disputa pela sua atuação na comédia 'Minhas mães e meu pai' Reuters O ator Mark Ruffalo, famoso por interpretar Hulk na franquia de "Vingadores", saiu em defesa do colega Leonardo DiCaprio após acusação do presidente Jair Bolsonaro. "Bolsonaro e sua galera estão fazendo de bode expiatório as pessoas que protegem a Amazônia dos incêndios que ele próprio permitiu que acontecessem.

Pergunte a si mesmo: o que mudou recentemente no Brasil para que isso aconteça agora? Bolsonaro e suas políticas (não) ambientais", disse Ruffalo em suas redes sociais.

Na sexta-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro acusou Dicaprio de colaborar com queimadas criminosas na Amazônia por meio de doações à WWF, organização não governamental (ONG) que atua na área ambiental. Bolsonaro acusa Leonardo DiCaprio e ONG de financiarem queimadas criminosas no Brasil "Quando eu falei que há suspeitas de ONGs, o que a imprensa fez comigo? Agora, o Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", disse na saída do Palácio da Alvorada. Ruffalo de olho no Brasil Não é a primeira vez que Mark Ruffalo se manifesta sobre a política brasileira.

Durante a campanha presidencial de 2014, Ruffalo chegou a declarar apoio à candidatura de Marina Silva e a classificou como "uma das pessoas mais interessantes da política mundial". Mas o ator voltou atrás após a candidata ter retirado do programa de governo o apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. "Eu não posso, em sã consciência, apoiar um candidato que tem uma abordagem dura em questões como o casamento gay e os direitos reprodutivos, mesmo que o candidato esteja disposto a fazer a coisa certa sobre as questões ambientais”, publicou o ator em seu blog em setembro de 2014.